Programa Parteiras

O Grupo Curumim, desde sua fundação, trabalha com parteiras tradicionais*, indígenas e quilombolas, nas regiões Norte, Nordeste, Centro-Oeste, em algumas regiões do Sudeste e da região Sul. Colabora nas proposições e definições de políticas públicas de saúde para a inclusão do parto e nascimento domiciliar assistidos por parteiras tradicionais no conjunto da atenção integral à saúde da mulher no Brasil.

A partir, do ano de 2000, o Grupo Curumim iniciou o estabelecimento de convênios com o Ministério da Saúde (MS), colaborando na implementação de ações do programa Trabalhando com Parteiras Tradicionais, da Área Técnica de Saúde da Mulher (ATSM)/MS. Através destes convênios (2000 a 2007), já trabalhou com 1.150 parteiras tradicionais e 54 pajés, benzedeiras(os) e rezadoras (os), incluindo quilombolas** e indígenas***, e com 884 profissionais, em sua grande maioria composta por profissionais da Estratégia de Saúde da Família (ESF), do Programa de Agentes Comunitários de Saúde (ACS) e dos Distritos Sanitários Especiais Indígenas – DSEI/FUNASA/MS, em 14 estados do Brasil.

Além dos resultados referentes ao trabalho com estados e municípios, foram elaborados materiais educativos e informativos, como o “Livro da Parteira”, o manual “Trabalhando com Parteiras Tradicionais” e o vídeo “De parteira a parteira”.

Organizou e coordenou a publicação o Livro Mulheres e Parteiras: Cidadania e Direitos Reprodutivos, que enfoca a questão dos direitos adquiridos e conquistados numa linguagem adaptada, elaborado por um grupo de parteiras de Pernambuco e do Pará para levar informação a parteiras, ACS e mulheres de todo o Brasil.

Prêmios recebidos pelo Grupo Curumim

Prêmio ARCONSULT Consultoria de Incentivo à Ação da Cidadania /Ano 1995: Parteiras Tradicionais do Sertão de Pernambuco: A Magia da Sobrevivência

Prêmio RACINE/Ano 2002 – Reconhecimento às Ações que Transformam as Condições da Saúde no Brasil: Humanizando o Atendimento à mulher e à Criança.

Prêmio Helio Beltrão/Ano 2002 – 7º  Concurso de Inovação na Gestão Pública Federal – Ministério do Planejamento e  Escola Nacional de Administração Pública – ENAP. Programa Trabalhando com Parteiras Tradicionais – Parceria entre Grupo Curumim e Área Técnica de Saúde da Mulher/Ministério da Saúde.

Medalha Mulheres de Tejucupapo: Promoção dos Direitos da Mulher/ – Ano 2007 – Assembléia Legislativa do Estado de Pernambuco: Institucional.

Nordeste),  GO (Região Centro Oeste),  MG (Região Sudeste) e PR (Região Sul).

* Utiliza-se aqui o termo “Parteiras Tradicionais”, porém entende-se que ao trabalhar com populações tradicionais e dependendo da etnia e da cultura local, outras cuidadoras e cuidadores podem estar envolvidas no processo do parto e nascimento. Portanto, mulheres e homens de comunidades rurais e urbanas, ribeirinhas, de floresta, residentes em locais de difícil acesso e de populações quilombolas e indígenas.

** Quilombo Caiana das Crioulas (PB), Conceição das Crioulas (PE), Kalungas (GO), Gorutubas (MG) e de alguns Quilombos de Alcântara (MA).

*** Potyguara (PB), Borari (PA),  Ashaninkas, Araras e Kaxinawás (AC), Fulni-ôs, Kapinawás, Xukurus, Pankararus, Pankarás, Trukás (PE), Xavantes (MT), Canamari, Baniwa, Tukano, Werekena, Wanana, Tariana, Desana, Nheengatu, Baré e Canamari (AM), Guaranis (PR), Maxakalis (MG) e com as Ingarikós, Taurepangs, Wapichanas, Wai Wais e Macuxis (RR).

Anúncios
%d bloggers like this: